segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Mais festa no Palacete


Nosso espetáculo "Ana tem medo do escuro" será apresentado dia 16/11//2018, no Palacete das Artes, às 18h, no Palacete das Artes, gratuito. Essa apresentação é parte das comemorações de 20 anos do grupo e conta com a participação de Fafá Daltro, Edu O., Aline Lucena, Iran Sampaio e do músico Felipe Sousa.



fotos de Edu O.

terça-feira, 6 de novembro de 2018

Ana tem medo do escuro - no Palacete das Artes

No dia 16 de novembro, às 18h, o Grupo X de Improvisação em Dança ocupa o jardim do Palacete das Artes, no bairro da Graça, com o espetáculo Ana tem medo do escuro, inspirado em acontecimentos que põem em discussão os desencontros e as impossibilidades de acesso ao viver do mundo comum.

A performance traz trechos de “Querido amigo”, texto de Maíra Spanghero, que revela poeticamente as nuances do cotidiano social, do viver solitário e as boas lembranças que estão atreladas. O bailarino Edu O. enfatiza que Ana tem medo do escuro fala das urgências que afetam as relações, de como os caminhos se bifurcam, desviam, divergem, convergem para, mesmo em espaços restritos, resolver momentaneamente as situações que se apresentam.

A pesquisa de movimento explora as tendências da dança contemporânea, com ênfase nos processos colaborativos e focaliza a organização do espaço, do tempo e do movimento, para criar condições de conexão entre os dançarinos e o espectador no contexto que está sendo construído: o lugar restrito.

Em Ana tem medo do escuro, o olhar do coreógrafo/dançarino improvisador se exerce de acordo com inúmeras interferências, que se inter-relacionam em função do momento presente. “Entendemos que o espectador e dançarino improvisador percebem, interpretam e dançam a cada encontro as experiências do corpo, porém, cada um a seu modo”, explica a coreógrafa Fafá Daltro.

O Grupo X de Improvisação em Dança completa 20 anos em 2018 e, desde o mês de Abril, vem realizando uma série de atividades em comemoração. O projeto acaba no dia 14 de dezembro com a montagem Se quiser, deixe sua lembrança!.

Grupo X

Fundado como projeto de extensão da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia pelos professores Fafá Daltro e David Iannitelli, o Grupo X explora, para além da pesquisa acadêmica, a criação artística, levando em conta questões relacionadas à acessibilidade e reflexões pertinentes à investigação e configuração em dança contemporânea, que tenham a improvisação cênica como eixo condutor.



Com coordenação do professor Edu O. e direção artística de Fafá, a companhia é formada hoje por nove dançarinos/coreógrafos/pesquisadores –  Fafá Daltro, Edu O., Taynah Melo, Natalia Rocha, Diane Portella, Iran Sampaio, William Gomes, Aline Lucena, Nei Lima e também conta com as cantoras convidadas Andréa Daltro, Talita Avelino e do músico Felipe Sousa.


foto Aldren Lincoln

domingo, 21 de outubro de 2018

Superfícies Flutuantes no Palacete das Artes



Mais do que nunca, o trabalho do Grupo X mostra-se atualíssimo.
Nossa nova performance, intitulada Superfícies Flutuantes cria jogos de manobras silenciosas, redes sutis, sensibilidades aparentes, manipulações de poder através da manipulação de bonecos articulados e como isso interfere nos corpos dos dançarinos. 
Tudo isso nos remete aos acontecimentos pelo quais estamos passando nesse momento político, social, econômico que impedem o acesso a lugares de direitos dos indivíduos...
O jogo do poder se encontra nas plataformas…. Como os dançarinos respondem a essas manipulações? Quando o jogo muda e o público se encontra no lugar do outro manipulado?
A apresentação do dia 26/10 (próxima sexta-feira) é parte das comemorações dos 20 anos X e da parceria com o Palacete das Artes. 
Superfícies Flutuantes
Quando: 26/10/2018 - 18h
Onde: Palacete das Artes
Quanto: gratuito
Elenco: Fafá Daltro, Edu O., William Gomes, Nei Lima, Diane Portella, Pamela Rinaldi e Iracema Vilaronga.
Musicista: Talita Avelino
Participação: Rudá e Valentina

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Estreia de Superfícies Flutuantes no Congresso UFBA




Dia 17 de outubro, o Grupo X de Improvisação em Dança apresentará sua mais recente pesquisa intitulada Superfícies Flutuantes, integrando a programação do Congresso da UFBA.

Esta proposta de intervenção artística  lança um convite ao público transeunte para interferir  na obra, manipulando bonecos articulados que estarão sobre plataformas construídas com tecido, papelão e lona. Cada plataforma e tudo que nela está ¬ bonecos articulados, roupas, objetos ¬ são uma superfície móvel, sujeita a alterações pela ação manipulatória do público. As ações performáticas irão corresponder às ações de intervenção do público… ou seja, para que as performances aconteçam é necessário  elaborar manobras com os bonecos articuláveis. 

Manobras silenciosas, redes sutis, sensibilidades aparentes, manipulações de poder… tudo isso nos remete aos acontecimentos pelo quais estamos passando nesse momento político, social, econômico que impedem o acesso a lugares de direitos dos indivíduos….. O jogo do poder se encontra nas plataformas…. como os dançarinos respondem a essas manipulações? Quando o jogo muda e o público se encontra no lugar do outro manipulado?  

O ambiente dessa obra é uma espécie de “mundo virtual” construído para permitir as diversas possibilidades de interações entre corpos e objetos e corpos e corpos. Dentro dessa espacialidade, a interatividade ocorre por laços invisíveis e flexíveis, uma rede formada com todos os agentes, seja ele de qualquer ordem e imprimindo qualquer tipo de ação, um toque, um olhar, um mover. Se não descobrimos sozinhos o que fazer com a potência desses encontros, os rastros deixados e afetações que nos atormentam, juntos resolveremos melhor.

Nessas relações, se constroem as estruturas do coletivo e do indivíduo a partir de situações e do modo como o corpo materializa as proposições, criando os vínculos necessários para expor o que se deseja comunicar. Afetos, lembranças, aproximações, distanciamentos e humores passarão por distintos corpos para dar vazão a essa criação. 

O aporte teórico se baseia no conceito de corpomídia (GREINER e KATZ, 2005), que o entende como apto cognitivamente para dialogar com os mundos possíveis de seu entorno, juntamente com as considerações sobre o espaço de Lucrécia Ferrara (2012) que busca descobrir, no suporte espaço, suas condições de mediação que o levam a transmitir sua própria capacidade comunicativa. Participam dessa ação professores, estudantes de graduação, pós-graduação e comunidade externa.

O trabalho segue para apresentação dia 26 de outubro, às 18h, no Palacete das Artes, como parte das comemorações de 20 anos do Grupo X. 

Elenco: Fafá Daltro, Edu O., Aline Lucena, William Gomes, Taynah Melo, Nei Lima e participação do músico Felipe Sousa.


Serviço

O que? Superfícies Flutuantes
Onde? Área externa do PAF III da UFBA
Quando? 17/10/18, às 17h:30min
Quanto? Gratuito



quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Fulaninha's no Palacete das Artes




O Grupo X de Improvisação em Dança completa 20 anos em 2018 e, desde o mês de Abril, vem realizando uma série de atividades em comemoração. Nesse segundo semestre, até dezembro, ocupará o Palacete das Artes, mensalmente, com apresentações de espetáculos do seu repertório, instalações e exposição itinerante. A segunda etapa da ocupação acontecerá no próximo dia 21/09, às 18 horas, no jardim e salão do Palacete das Artes, com o trabalho intitulado “Fulaninha's”.

O espetáculo relembra experiências vividas pelo Grupo X, em 2012, junto às mulheres que trabalham na Lavanderia Comunitária de Alto das Pombas-Federação/SSA. As pesquisas geradas observaram o diálogo entre o corpo e o ambiente de trabalho, explorando seus mecanismos no trato com a lavagem de roupa, as habilidades das lavadeiras para pendurá-las num varal alto, os diálogos corriqueiros, e outras ações que provocavam surpresas, deixando reverberar a beleza dos afetos e cumplicidades entre elas. Arrumar, rearrumar, desarrumar, lavar, florear, para dizer algo no jardim das Fulaninhas.

Fundado como projeto de extensão da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia pelos professores Fafá Daltro e David Iannitelli, o Grupo X explora, para além da pesquisa acadêmica, a criação artística, levando em conta questões relacionadas à acessibilidade e reflexões pertinentes à investigação e configuração em dança contemporânea, que tenham a improvisação cênica como eixo condutor.

Com coordenação do professor Edu O. e direção artística de Fafá, a companhia é formada hoje por nove dançarinos/coreógrafos/pesquisadores - Fafá Daltro, Edu O., Taynah Melo, Natalia Rocha, Diane Portella, Iran Sampaio, William Gomes, Aline Lucena, Nei Lima e Daiana Carvalho e também conta com as cantoras convidadas Andréa Daltro, Talita Avelino e do músico Felipe Sousa.

Ocupação

Até dezembro de 2018, o Grupo X fará apresentações únicas de alguns espetáculos do seu repertório. O primeiro foi “Se você quiser ...”, no dia 31 de agosto. Já em setembro, no dia 21, será a vez de Fulaninha's. 

Em Outubro, a ocupação do Palacete das Artes continua com Superficies flutuantes, no dia 26 - ocorrerá ainda apresentações deste espetáculo no Congresso da UFBA, de 16 a 18/10. 

Ana tem medo do escuro é o espetáculo a ser apresentado em novembro, no dia 16. 

O projeto acaba no dia 14 de dezembro com a montagem Se quiser, deixe sua lembrança!.

Serviço
O quê? “Fulaninha's” – 20 anos do Grupo X
Quando? 21 de setembro, 18h
Onde? Jardim e salão do Palacete das Artes
Quanto? Gratuito

FICHA TÉCNICA – FULANINHA'S

Direção Artística: Fafá Daltro 
Direção Geral: Edu O.
Criadores-intérpretes: Fafá Daltro, Natalia Rocha, Nei Lima, Aline Lucena.
Musicista: Felipe Sousa
Participação virtual: Andréa Daltro

sábado, 1 de setembro de 2018

Nós que seguram memórias

Uma caminho flutuante como os barcos de papel que dobram, dobram e redobram em mãos que viajam em afetos. Um caminho percorrido em coletivo de pessoas que se juntam para dançar e apreciar. Somos nós que seguram memórias construídas a cada encontro. Assim é “Se você quiser...”


Obrigado ao Palacete das Artes pelo espaço sempre pronto a nos receber, obrigado ao público que comemorou conosco nossos 20 anos e nos acompanha com olhares atentos e afetuosos. Foi demais, galera!! 



 Foto Gisele Nussbaumer

terça-feira, 21 de agosto de 2018

O Grupo X faz festa no Palacete das Artes

O espetáculo Se você quiser… marca o início de uma série de apresentações de repertório, instalações e exposições itinerantes que acontecerão no Palacete das Artes, até o final do ano.



Serviço
O quê? “Se você quiser…” – 20 anos do Grupo X
Quando? 31 de agosto, 18h
Onde? Jardim do Palacete das Artes

Quanto? Gratuito


O Grupo X de Improvisação em Dança completa 20 anos em 2018 e, desde o mês de Abril, vem realizando uma série de atividades em comemoração. Nesse segundo semestre, até dezembro, ocupará o Palacete das Artes, mensalmente, com apresentações de espetáculos do seu repertório, instalações e exposição itinerante. A ocupação começa no próximo dia 31 de agosto, às 18 horas, no jardim do Palacete das Artes, com o mais novo trabalho intitulado “Se você quiser…”.

O espetáculo é uma colcha de retalhos da história do Grupo X que reúne, além das memórias dos dançarinos e da interação com o público e o espaço, elementos de espetáculos anteriores, como “Ana tem medo do escuro” (2017), “Mais ou menos depois do meio” (2015), “Pequetitas Coisas Entre Nós Mesmos” (2011), “Os Três Audíveis... Ana, Judite e Priscila” (2008) e “O canto de cada um” (2003).

“Se você quiser ...” traz para cena as memórias individuais e coletivas que se constroem com os encontros, com o que os espaços provocam nos intérpretes-criadores, na criação do varal com imagens, objetos e frases que estimulam a performance. Toda a trajetória do espetáculo é permeada pela exploração de bancos plásticos, que funcionam como elementos de ligação entre os intérpretes-criadores e provocam estados corporais distinto.

“Mais do que representação dessas memórias, é um estado de presença. Criamos um espaço ao mesmo tempo fictício e real. Nos interessa as relações que se estabelecem com as pessoas, com os lugares, com os sons, comportamentos, etc”, descreve Edu O..

O espetáculo, criado para espaços externos e estreou na rua, adapta-se às áreas internas, como o Palacete. “O jardim do Palacete das Artes é um espaço ideal para o trabalho, onde a plasticidade também é muito importante. É uma instalação performática”, explica Edu O..

Grupo X
Fundado como projeto de extensão da Escola de Dança da Universidade Federal da Bahia pelos professores Fafá Daltro e David Iannitelli, o Grupo X explora, para além da pesquisa acadêmica, a criação artística, levando em conta questões relacionadas à acessibilidade e reflexões pertinentes à investigação e configuração em dança contemporânea, que tenham a improvisação cênica como eixo condutor.  

Com coordenação do professor Edu O. e direção artística de Fafá, a companhia é formada hoje por dez dançarinos/coreógrafos/pesquisadores -  Fafá Daltro, Edu O., Taynah Melo, Natalia Rocha, Diane Portella, Iran Sampaio, William Gomes, Aline Lucena, Nei Lima e Daiana Carvalho e também conta com as cantoras convidadas Andréa Daltro, Talita Avelino e do músico Felipe Sousa.

Ocupação
Até dezembro de 2018, o Grupo X fará apresentações únicas de alguns espetáculos do seu repertório. O primeiro é “Se você quiser ...”, no dia 31 de agosto. Já em setembro, no dia 21, será a vez de Fulaninha's. Em Outubro, a ocupação do Palacete das Artes continua com Superficies flutuantes, no dia 26 - ocorrerá ainda apresentações deste espetáculo no Congresso da UFBA, de 16 a 18/10. 

Ana tem medo do escuro é o espetáculo a ser apresentado em novembro, no dia 16. O projeto acaba no dia 14 de dezembro com a montagem Se quiser, deixe sua lembrança!.

FICHA TÉCNICA – SE VOCÊ QUISER ...
Direção Artística: Fafá Daltro 
Direção Geral: Edu O.
Criadores-intérpretes: Fafá Daltro, Edu O., Natalia Rocha, Diane Portella, Iran Sampaio, William Gomes, Aline Lucena.
Musicista: Talita Avelino


sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Tempo de olhar o balde. Se você quiser...

Iran com pilhas de bancos

Organização de bancos - Edu tira um a um da cabeça de Iran e entrega a Fafá que distribui pelo espaço com o pé - Edu enfileira os bancos - Iran improvisa, no chão, apenas com um banco

Nath espera - Desfile de Nath em cima dos bancos - Edu + Fafá + Iran vão compondo o caminho enfileirado de Nath - Palmas “tô nem aí”

Ao final da trajetória, Nath desloca-se sobre dois bancos, arrastando-os - Edu + Fafá + Iran espalham bancos pelo espaço - Fafá senta - Edu em sua frente “quero contar a história de seu cu” - "pode contar" - Nath e Iran também escutam em cima dos bancos - “pode contar” - “espere” - “pode contar” - “seu cu me emociona” - Fafá cobre o rosto com a saia, deixando à mostra a calcinha “estou com vergonha” - história de Paloma no mato - se espalham pelo espaço e se encontram com Iran segurando o balde

Consignas em post its tiradas do balde - “isso é pra você” - “mandaram pra você, oh”- “isso é meu, isso é pra você” - “mandaram pra você, oh” - “manda se acalmar”….

Saia

Música para saia sozinha (Oblivion - Piazzolla) - solo de Fafá + grupo olhando (fazendo flores de guardanapo - proposta) - Fafá sobe no banco - Edu se aproxima de Fafá segurando o balde

Edu derrama papéis sobre a própria cabeça e cobre com o balde - espera - tempo de olhar o balde

Olhares por baixo do balde

Grupo arruma post its na frente de Edu - Edu desce da cadeira - desliza arrastando o balde enfiado na cabeça pelo chão - balde como focinho - grupo enfileira os bancos - segura balde com os dentes

Fafá empilha os bancos - junta os post its no chão embaixo dos bancos, no canto da sala - Nath cata os post its do chão

"Tô esperando" 

Iran veste-se com dois bancos

Fafá arrastando a pilha de bancos, lentamente - Iran vestido com bancos atrás - Nath bem à frente lendo os post its



Fafá desfazendo a pilha enquanto desliza lentamente - linha diagonal - desvia de Nath e segue - Nath em equilíbrio nos bancos - Iran vestido com dois bancos, sentado em um banco

Fafá, em pé no banco, na fresta da porta: “Se você quiser… pode vir arrumar. Sou eu que sempre arrumo”.





O que nos ligou antes.

Ampliar subjetividade

Experiência de fazer junto

Bifão de quatro

Trabalha o conteúdo de outra forma

Desobedece potencializando o que já está... 

Se você quiser...

Superfícies Flutuantes


Iniciamos, em Julho, nova pesquisa intitulada Superfícies Flutuantes, onde propomos jogos para improvisação a partir da manipulação de bonecos articulados, compreendidos por determinadas áreas como arquitetura e desenho, por exemplo, como o corpo ideal, padrão. 

Como desarticular o pensamento hegemônico através de suas próprias ferramentas? Que outros possíveis discursos podemos encontrar nesse jogo? Quem manipula e quem é manipulado? Várias questões tem surgido e nos provocado.

Todas as sextas-feiras, das 17h às 19h, na Sala 4 da Escola de Dança da UFBA. Pesquisa aberta ao público.






fotos Edu O.

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Pra cego ver - descrição do material de divulgação

O Grupo X, desde 2008, vem desenvolvendo ações de acessibilidade para o público com deficiência poder acessar à sua produção artística. Iniciamos com audiodescrição do espetáculo Os 3 Audíveis... Ana, Judite e Priscila. De lá para cá, não paramos mais, apesar de todas as dificuldades com falta de orçamento, falta de comprometimento pelo Estado que deveria garantir os meios de acessibilidade para este público e acaba recaindo na conta das produções. Isso é fato! Mas, compreendemos também nossa responsabilidade e dever em possibilitar que todas as pessoas tenham acesso aos projetos que são financiados com dinheiro público, através dos editais e políticas de fomento, como é o nosso caso que fomos selecionados pelo Edital Setorial de Dança 2016 - SECULT/BA.

Para nós, não há possibilidade em pensar um projeto sem acessibilidade, dessa forma, oferecemos audiodescrição em todas as apresentações e também a descrição das principais peças de divulgação do projeto, feitas por Iracema Vilaronga e Juniro Almeida. Nosso material gráfico ficou por conta de William Gomes que também dançava conosco.

Infelizmente, não conseguimos - ainda - tornar nosso blog acessível! Esse é um dos projetos prioritários, mas temos encontrado bastante dificuldade em realizar.

Abaixo, o material de divulgação e sua descrição:


Descrição da imagem: Cartaz quadrado em vermelho com bordas brancas. No topo ao centro em letras brancas: Governo da Bahia. Grupo X de Improvisação em Dança XX anos, apresentam: Logo abaixo, a esquerda e em fonte maior verde: Se Você Quiser...

Ao longe no canto superior direito, a foto com filtro vermelho de uma moça que dança sozinha na penumbra.

Seu vestido de alças finas e cabelos negros se fundem com o escuro do ambiente.

A luz que por ali passa, realça sua pele clara e a forma grácil de seus braços, que num movimento leve e solitário, joga um para cima e outro para o lado esquerdo. Um fio com pérolas desliza e acompanha os seus gestos.

De semblante sério, seu olhar se volta para a esquerda onde bancos plásticos brancos se espalham pela extensão do lugar. Mãos se misturam entre eles.

Mais abaixo e ao centro, em fonte menor e também em verde: Estreia. Oficina e Apresentação. 04/05 15h-18h. Praça da Piedade.

A direita, rabiscado em traços finos e brancos descansa em pé, um delicado vestido longo. Um fio sai de lá percorre e ultrapassa os limites do cartaz. Uma sanfona a sua direita o acompanha em silêncio.

Mais abaixo em branco: Apoio Financeiro: Slogans da Fundação Cultural da Bahia, Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Cultura e Bahia Governo do Estado.

O fio de pérolas passa delicadamente no canto inferior esquerdo.

Fim da descrição




Descrição da imagem: Cartaz quadrado em azul escuro com bordas brancas. No topo ao centro em letras brancas: Governo da Bahia. Grupo X de Improvisação em Dança XX anos, apresentam: Logo abaixo, a esquerda e em fonte maior amarela: Se Você Quiser...

Ao longe no canto superior direito, a foto com filtro azul de uma moça que dança sozinha na penumbra. Seu vestido de alças finas e cabelos negros se fundem com o escuro do ambiente.

A luz que por ali passa, realça sua pele clara e a forma grácil de seus braços, que num movimento leve e solitário, joga um para cima e outro para o lado esquerdo. Um fio com pérolas desliza e acompanha os seus gestos.

Com semblante sério, seu olhar se volta para a esquerda onde bancos plásticos brancos se espalham pela extensão do lugar. Mãos se misturam entre eles.

Mais abaixo e ao centro, em fonte menor: Oficina e apresentação com audiodescrição. 12/05 16h-19h. Largo da Mariquita, todos em amarelo, exceto “com audiodescrição” que vem na cor laranja.

A direita, rabiscado em traços finos e brancos descansa em pé, um delicado vestido longo. Um fio sai de lá percorre e ultrapassa os limites do cartaz. Uma sanfona a sua direita o acompanha em silêncio.

Mais abaixo em branco: Apoio Financeiro: Slogans da Fundação Cultural da Bahia, Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Cultura e Bahia Governo do Estado.

O fio de pérolas passa delicadamente no canto inferior esquerdo. Logo ao lado, sobre faixa branca com bordas arredondadas: Apoios: Proceda, Escola de Dança - UFBA e brasão da UFBA.
Fim da descrição.


Descrição da imagem: Cartaz quadrado em verde escuro com bordas brancas. No topo ao centro em letras brancas: Governo da Bahia. Grupo X de Improvisação em Dança XX anos, apresentam: Logo abaixo, a esquerda e em fonte maior vermelha: Se Você Quiser...

Ao longe no canto superior direito, a foto com filtro verde de uma moça que dança sozinha na penumbra. Seu vestido de alças finas e cabelos negros se fundem com o escuro do ambiente.

A luz que por ali passa, realça sua pele clara e a forma grácil de seus braços, que num movimento leve e solitário, joga um para cima e outro para o lado esquerdo. Um fio com pérolas desliza e acompanha os seus gestos.

Com semblante sério, seu olhar se volta para a esquerda onde bancos plásticos brancos se espalham pela extensão do lugar. Mãos se misturam entre eles.

Mais abaixo e ao centro, em fonte menor: Oficina e apresentação com audiodescrição. 19/05 16h-19h. Largo do Santo Antônio, todos em vermelho, exceto “com audiodescrição” que vem na cor laranja.

A direita, rabiscado em traços finos e brancos descansa em pé, um delicado vestido longo. Um fio sai de lá percorre e ultrapassa os limites do cartaz. Uma sanfona a sua direita o acompanha em silêncio.

Mais abaixo em branco: Apoio Financeiro: Slogans da Fundação Cultural da Bahia, Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Cultura e Bahia Governo do Estado.

O fio de pérolas passa delicadamente no canto inferior esquerdo. Logo ao lado, sobre faixa branca com bordas arredondadas: Apoios: Proceda, Escola de Dança - UFBA e brasão da UFBA.

Fim da descrição.

Se esta rua fosse minha - temporada de Se você quiser

por Edu O.


Se esta rua fosse minha! Se esta rua fosse nossa?

No dia 04 de maio, estreamos "Se você quiser...", nosso novo espetáculo criado para as praças de Salvador. Passamos pela Praça da Piedade, Largo da Mariquita e Largo do Santo Antônio Além do Carmo.

Como pensar as ocupações artísticas nas praças de Salvador? Como dialogar com os espaços, com as pessoas de maneira respeitosa e não invasiva? Como construir imagens poéticas e pensar "o extraordinário do ordinário" (primeiro trabalho do grupo X que assisti, antes de fazer parte do grupo. Acho que foi lá pros idos de 1998).

Pensar na temporada do nosso novo trabalho intitulado "Se você quiser...", para mim, é pensar em ação política constante. Percebo a importância de cada vez mais estarmos na rua, de encontrarmos nosso público que não se sente convidado para entrar em teatros.

É negociar e dançar junto com aula de forró, com o arrocha da barraca, o menino curioso que se aproxima para perguntar, com o rádio na janela de dona Judite tocando Roberto Carlos e Alcione... 

É observar a vida que sobe em árvore, pula, passa de bicicleta. 

O cheiro de pipoca. 

O pôr do sol que se faz cenário e iluminação.

Tivemos ainda audiodescrição em todas as apresentações. 

Precisamos compreender a importância de ações de acessibilidade nos nossos projetos. Nós - não é mesmo amigos artistas e produtores? - que discursamos tanto por igualdade, respeito, cidadania... 

Tantos corpos que se misturam com outros tantos corpos... tantos afetos, memórias, sutilezas, belezas, risos e encontros.

Misturar é tão político hoje em dia! 



Abril - o mês mais X do ano


O Grupo X teve uma agenda intensa no Mês da Dança, nesse ano de 2018. 

Comemorando nossos 20 anos com apresentações do Se quiser, deixe sua lembrança! no Festival VivaDança e também no projeto Abril O Corpo, no Teatro Gamboa Nova.

Com imensa alegria, pois não poderia faltar na nossa festa, recebemos o amigo e parceiro Wilfrid Jaubert - coreógrafo e dançarino da Cie Artmacadam - para mais uma edição de uma história de amor chamada Euphorico: Tujur que também teve apresentação no Festival VivaDança e ministrou aulas para as turmas de graduação e pós-graduação da Escola de Dança da UFBA.



Ainda, participamos do Seminário Corpos Políticos, promovido pela Escola de Dança da UFBA, coordenando e apresentando  Muvuca Cênica.

Para essas ações contamos com as presenças de 

Fafá Daltro, Natália Rocha, Taynah Melo, William Gomes, Diane Portella, Daiana Carvalho, Aline Lucena, Iran Sampaio, Edu O. e Talita Avelino - equipe artística

Rafael Rebouças, Joice Oliveira - equipe de produção 

Aldren Lincoln - fotografia

Daniel Guerra - video

Mônica Santana e Karlene Rios - comunicação

Bia Bem - Redes Sociais

William Gomes - designer

Andréa Daltro, Lucas Valentim, Nei Lima e Felipe Sousa - participação especialíssima

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Se quiser, ocupe os espaços


O Grupo X de Improvisação em Dança, comemora seus 20 anos, apresentando o processo de criação do seu mais novo trabalho intitulado Se você quiser..., com estreia em Maio de 2018. 

Em Se quiser, deixe sua lembrança! o Grupo X propõe intervenções em diversos ambientes do teatro repleto de pequenos espaços, cantos e cantinhos providenciais para a performance de dança. 

A proposta tem como ponto de partida as trocas de experiências entre intérpretes e público espectador
para compartilhar memórias dos 20 anos do Grupo X que confabulam com lembranças pessoais dos artistas e também da plateia que coabitará o espaço cênico intervindo e deixando suas lembranças... se quiser.

A dramaturgia cênica irá observar o espaço em sua cotidianidade e as relações possíveis com o ambiente, interferindo na dinâmica local. Destacamos a riqueza das trocas. Como afetamos e somos afetados pelos outros, o que nos modificam e onde se encontram as nossas ressonâncias? Um ambiente ficcional/real será instaurado em que dramaticidade e humor se interpelam e se interpõem para expor o diálogo poético.

A performance é itinerante, iniciando na área externa, adentrando e visitando vários espaços do teatro que serão preenchidos de lembranças. Espaço, tempo, corpo e música estão aqui implicados para relacionar as ideias que serão compartilhadas durante a experiência, utilizando as sensibilidades aí contidas. 

Para dar início às comemorações, “Se quiser, deixe sua lembrança” ganha apresentação no Teatro Vila Velha, integrando a programação do Festival VivaDança, dias 20 e 21 de abril (sexta-feira e sábado), às 19h e no Teatro Gamboa Nova, no dia 26 de abril (quinta-feira), às 19h, com ingressos a R$20 e R$10 (meia entrada).



segunda-feira, 9 de abril de 2018

XX anos, tantas águas

Tantas águas passaram
Pedras, limos, beiras
Margens - como fronteiras - 
rasgadas

Tanta sede por vir
Tantas outras saciadas

O porvir... quase um pôr do sol
Que nunca se põe 
Se chegamos ao lado de lá

Eu do meu lado
"Jogo pérolas aos poucos
Ao mar"*

foto Natalia Rocha

*verso da música Pérolas aos poucos de Zé Miguel Wisnik e Paulo Neves