Euphorico - intercâmbio Brail-França

O Grupo X de Improvisação em Dança tem mantido constante diálogo com artistas internacionais, promovendo e divulgando as pesquisas em Dança no Brasil, ao realizar desde 2004, o projeto Euphorico, que consiste numa residência artística de pesquisa em Dança Contemporânea, junto à companhia francesa Artmacadm e artistas convidados. 

Alternando, anualmente, realizações no Brasil e na França, responde aos territórios contemporâneos da arte e novas tecnologias. Tem o propósito de troca de experiências entre culturas fomentando discussões e possibilitando o trânsito de informações entre esses países, com apresentações em cidades como: Marseilles, Le Pradet, Istres, Sanary, La Seyne-sur-mer (França), Salvador, Santo Amaro, São Francisco do Conde (BA) e Belo Horizonte (MG). Os dois grupos em razão das próprias investigações com múltiplos corpos, estão sempre sensíveis a questões de acessibilidade à dança - enquanto público ou artistas – de pessoas com deficiência, desenvolvendo práxis voltadas para a acessibilidade dessas pessoas. Por causa deste projeto, em 2009, ocasião do Ano da França no Brasil, os artistas do Grupo X e da Cia Artmacadam, foram convidados a realizar uma residência artística no projeto OUTRAS DANÇAS, promovido pelo MINC e FUNARTE.



Ao longo desses anos o projeto Euphorico recebeu diversos apoios tanto em instâncias francesas como brasileiras, tais como: Brasil: Ministério da Cultura através do Edital do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural em 2004 e 2010, Fundação Cultural do Estado da Bahia através do Calendário de Apoio 2008, Escola de Dança da UFBA, Escola de Dança da FUNCEB, Prefeitura de Santo Amaro, Espaço Xisto Bahia, Cine Teatro Solar Boa Vista, Pelourinho Cultural, Pelourinho Dia e Noite. França: Centro Nacional para a criação e difusão cultural Chateauvallon, Prefeitura de Pradet Var, Prefeitura de La Seyne sur Mer Var, Conselho Geral var, PACA Conselho Regional, Banco Crédit Mutuel.

Em 2018, o intercâmbio intitula-se Euphorico: Tujur. Durante 20 dias, de 23/04 a 10/05, o Grupo X recebe o coreógrafo francês Wilfrid Jaubert, diretor da Cie Artmacadam, para a realização de performances em espaços urbanos e workshops sobre a improvisação como poética da diferença, buscando maneiras de promover encontros para um diálogo sensível com o outro, principalmente em um momento particular da nossa história, onde o espaço público vem se tornando o lugar do não-diálogo e da intolerância. Promover encontros como potência democrática que reverberam, no ambiente, múltiplas possibilidades. O projeto foi convidado para integrar a programação do Festival VivaDança, no Teatro Vila Velha, também integrará a programação do Ocupe o Gamboa, no Teatro Gamboa Nova e participará de oficinas e do Grupo de Pesquisa PROCEDA, na Escola de Dança da UFBA.

Histórico Euphorico

Em 2004 as duas companhias de dança contemporânea encontram-se, pela primeira vez na França, para um “reconhecimento de poéticas” e criam a performance Apero Impro Danse. Participaram desse primeiro encontro os coreógrafos/dançarinos Edu O., Fafá Daltro (Grupo X), Helene Charles e Wilfrid Jaubert (Cia Artmacadam) e diversos músicos da região. Foram oito dias de pesquisa em improvisação, culminando com uma mostra pública na praça do Comoedia Café, em La Seyne sur Mer/FR.




Nasce então o PROJETO EUPHORICO que tem como objeto a troca de experiências entre as duas companhias, dialogando entre aproximações estéticas e contrastes culturais. A primeira edição deste intercâmbio, “Euphorico - Poetic Dance Inclusive” teve lugar em Le Pradet e La Seyne sur Mer na França, no período de 24 de setembro a 09 de outubro de 2005, participando do « Rencontres Chorégraphiques d’Automne au Pradet» e apresentando-se no Théâtre Guillaume Appolinaire - La Seyne sur Mer. Resultou em peça coreográfica baseada na improvisação de música e dança, e também realização de performances na praça do Comoedia Café, em La Seyne sur Mer e estágios de sensibilização, principalmente junto a pessoas de mobilidade reduzida. Participaram neste ano Edu O., Jamiller Antunes (Grupo X), Wilfrid Jaubert, Helene Charles, Florence Morel (Cia Artmacadam), Jeremy Lai, Stephane Kara (músicos que construíram a trilha executada ao vivo).


Em outubro de 2006, a terceira residência se deu com o deslocamento da companhia Artmacadam para o Brasil para a edição intitulada “Euphorico: La Veritá”. O espetáculo resultante foi apresentado ao público no “Teatro do ISBA - Projeto Quartas Cênicas”, na “Praça Quincas Berro D'Água - Projeto Pelourinho Dia e Noite” e no “Teatro D. Canô”, na cidade de Santo Amaro.  Também foram realizados workshops para pessoas com deficiência e palestra para alunos de graduação na Escola de Dança da UFBA, na Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia e no projeto social Casa das Artes, em São Francisco do Conde. Neste ano participaram Edu O., Fafá Daltro (Grupo X), Wilfrid Jaubert, Hélène Charles, Jessy Coste, Florence Morel, Marielle Guillaume (Cia Artmacadam) e Clênio Magalhães (artista convidado de Minas Gerais). 

Em setembro/outubro de 2007, o projeto então ampliado e intitulado “Euphorico - Lá- Bás Boleta”, tem lugar uma vez mais na França (La Seyne sur Mer, Marseilles, Istres e Le Pradet) trazendo duas vertentes: a primeira preserva o modelo de criação coletiva de um espetáculo de improvisação em dança para a cena, apresentado no Théâtre Guillaume Appolinaire - La Seyne sur Mer e com performances em ruas de Marseilles, oficinas públicas e debates; a segunda vertente reúne a apresentação de criações solísticas de dançarinos das duas companhias com o espetáculo “Entre Banquete et Judite, 3 rêves de Georgete Pieton” com a presentações no Théâtre de la Joliette La Minoterie em Marseilles e l'Espace des Arts - Le Pradet, na programação do « Rencontres Chorégraphiques d’Automne au Pradet». Esta última proposta consistia em apresentação de três solos, “Judite quer chorar, mas não consegue!” de Edu O., “Banquete” criado por Clênio Magalhães e “Double You” criação de Wilfrid Jaubert, além  do quarteto feminino “3 rêves de Georgete Pieton”, coreografia idealizada por Hélène Charles. Foram realizadas, ainda, oficinas no Conservatoire National de Région Marseille para estudantes de artes cênicas. Participaram Edu O., Hugo Leonardo (Grupo X),  Wilfrid Jaubert, Hélène Charles, Kinga Samborska, Florence Morel, Marielle Guillaume (Cia Artmacadam), Clênio Magalhães, Bianca Góis, Danielle Coutinho (artistas brasileiros convidados), Philippe Festou e Stephane Kara (músicos/compositores).



No ano de 2008 a Cia Artmacadam volta ao Brasil para a realização da quarta edição do projeto intitulado “Euphorico Arréta” dando continuidade às pesquisas em Improvisação junto à comunidade universitária e pessoas com deficiência, além das mostras públicas, workshops e projetos de vídeo-dança. Neste ano o projeto Euphorico recebeu apoio do Calendário de Apoio projeto da Fundação Cultural do Estado da Bahia e do Pelourinho Cultural. Foram realizadas duas apresentações no Espaço Cultural de Plataforma e uma apresentação na Praça Pedro Arcanjo - Pelourinho. Neste ano buscou-se uma aproximação com a linguagem de vídeo-arte, propondo a performance 12h Chrono Dance, experiência sobre improvisação em diferentes lugares, durante um período de 12 horas, de forma contínua das 10h às 22h, em conexão com pesquisa sobre cronobiologia. Participaram Edu O., Fafá Daltro, Hugo Leonardo, Iara Cerqueira (Grupo X), Wilfrid Jaubert, Hélène Charles, Kinga Samborska, Marielle Guillaume (Cia Artmacadam), Drica Rocha e Milianie Matos (videomaker).


O Governo Brasileiro produziu em 2009 uma vasta programação cultural em comemoração ao Ano da França no Brasil e por esta razão a Cia Artmacadam retorna ao país para desenvolver o  “Euphorico - a céu aberto”, uma proposta diferenciada das anteriores por se tratar de uma pesquisa na área externa do Cine Teatro Solar Boa Vista, convivendo com a comunidade que frequenta aquele ambiente, desenvolvendo jogos coreográficos onde essas pessoas mesmo sem se darem conta já estavam envolvidas, numa iniciativa que pretendia refletir sobre o cotidiano e a rotina na quele ambiente de convívio público. O projeto Euphorico foi convidado também a participar do Palco Alternativo, mostra de dança realizada pela Escola Contemporânea de Ballet, em Salvador. Já nesta edição trabalhou-se com criação de textos, tendo participação de uma atriz em cena, estratégia coreográfica aprofundada no Euphorico de 2010. Em 2009 participaram Edu O., Fafá Daltro (Grupo X), Wilfrid Jaubert, Helene Charles (Cia Artmacadam),  Clênio Magalhães, Mirella Matos (artistas convidados).

Por este trabalho, a FUNARTE e a Fundação Cultural do Estado da Bahia, convidaram os artistas Edu O., Wilfrid Jaubert e Helene Charles a participarem da residência artística "Outras Danças", em Novembro de 2009, projeto de encerramento da programação do Ano da França no Brasil, com apresentação no Teatro do ICBA.


Euphorico - a Page aberta foi a edição do ano de 2010, ocorrida na França, onde a improvisação acontecia a partir de um roteiro escrito coletivamente, mas organizado aleatoriamente. As artes visuais também serviram de estímulos coreográficos, utilizando-se em cena trabalhos da artista Fabienne Frossard. O destaque desse ano ficou com a participação do projeto no Congresso organizado pela Associação Nacional de Psicomotricidade cujo tema foi “Corps Abimé” ou “Cospos Machucados”.

Realizou-se também performances nas ruas das cidades de Toulon, Sanary, La Seyne-sur-Mer, Aubagne, além de apresentações no Théâtre Guillaume Appolinaire e oficinas para crianças de pré-escola em instituições de ensino público francês. O Grupo X de Improvisação em Dança recebeu nesta ocasião apoio da Escola de Dança da UFBA através do Programa de Pós-Graduação em Dança-PPGDANCA e do Ministério da Cultura através do Edital do Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural 2010. Participaram Edu O., Fafá Daltro (Grupo X), Wilfrid Jaubert, Helene Charles, Kinga Samborska, Mariele Guillaume, Florence Morel, Laura Petrosino (Cia Artmacadam), Phelipe Festou (músico), Fabienne Frossard (artista plástica) e Clênio Magalhães (dançarino convidado).




Em 2011, o projeto intitulou-se “Euphorico: Je t’aime” realizou durante o período do intercâmbio um estudo investigativo sobre as relações afetivas, os encontros, as distâncias, as aproximações e ausências, os je “t’aime” que cada um traz no corpo. Motivo que também fomentou as três oficinas de criação em dança e realizadas nos dias 7, 8 e 9 de setembro, na sala de ensaio do Espaço Xisto, contando com a participação de 40 (quarenta) inscritos por dia, entre professores, estudantes da Escola de Dança da UFBA e Escola de Dança da FUNCEB, monitores e participantes do ACCDANA59, participantes do projeto Contato Sutil, realizado pela Marinha da Bahia e público espontâneo, superando as expectativas previstas no projeto. Em 14 de Setembro, das 15h às 18h aconteceu a Conversa sobre Cultura – Espaço Xisto Bahia, com a participação da Profa. Dra, Lenira Rengel mediando o debate que contou com comunicações da Prof.. Dra. Fatima Daltro (palestrante), Eduardo Oliveira (palestrante), Wilfrid Jaubert (palestrante), Helene Charles (palestrante) , Ninfa Cunha (palestrante convidada) e a Coordenadora do Espaço Xisto Bahia – Katia Costa. Na mostra artística no dia 21 de setembro, às 20h, foi constatado a presença desse público e outros interessados. De 22 a 26 de setembro o projeto residiu nas cidades de Governador Valadares e Belo Horizonte em Minas Gerais, ampliando os espaços de discussões sobre acessibilidade e o corpo da pessoa com deficiência, ao participar do Festival Dancon Liga de Dança.



Na 8ª edição, realizada em 2012, na França, intitulada “Euphorico Je t’aime là”, foram abordadas questões referentes às viagens, o que carregamos nessa mala-corpo, nesse peito, nesse olhar. Como enxergamos o outro e nos revelamos a partir disso. As oficinas, pesquisas, debates e mostras artísticas aconteceram sempre no espaço cultural La Distillerie, na cidade de Aubagne. Neste ano, o destaque do projeto foi a performance realizada na feira livre da cidade de Aubagne. Participaram desta edição Fafá Daltro, Edu O. e Iara Cerqueira (Grupo X) e Wilfrid Jaubert, Helene Charles, Kinga Samborska, Mariele Guillaume, Laura Petrosino (Cia Artmacadam), além dos músicos Emilie Lesbros e Fred Manillo. Os artistas baianos contaram com o apoio Edital Mobilidade Artística 2012, da SECULT, na concessão de passagens e seguros de viagem.



Em 2013, o projeto recebeu o nome “Euphorico escrive Aqui”, integrando a programação do mega-evento “Marseille Provence 2013 capital européia da cultura”. Realizou-se experimentações em espaços alternativos e urbanos. Ainda aconteceram workshops e debate sobre “arte e deficiência”, atendendo a um público diversificado de estudantes e profissionais de Dança, público em geral e pessoas com deficiência.

Em 2014, o projeto recebeu o nome de ‘Euphorico Aqui Escrive – uma retrospectiva”, investigando as relações afetivas, os encontros, as distâncias, as aproximações. A residência aconteceu de maneira itinerante, durante três semanas, circulando por Salvador, Jequié, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e Santo Amaro (BA).

Em sua 11ª edição, realizada no ano de 2015, na França, o projeto intitulou-se Euphorico: Pequenho trace – missão, investindo nas trajetórias pessoais de cada integrante do projeto criando uma peça coletiva a partir de suas particularidades e processos individuais. A programação consistia em oficinas para escolas, artistas e público em geral, debates e apresentações compostas por 3 momentos: 1 duo da Cie Artmacadam, 1 solo de Edu O. (Ah, se eu fosse, Marilyn!) e 1 performance em grupo, realizadas nas cidades de Nice, Marseille, Flayosc, la Seyne, Toulon

Em 2016, a Cie Artmacadam volta ao Brasil para o Euphorico Plissê, realizado nas cidades de Salvador e Santo Amaro, com oficinas para estudantes da Escola de Dança da UFBA e do CECULT-UFRB, consecutivamente. O projeto ainda integrou as comemorações dos 10 anos do espetáculo Judite quer chorar, mas não consegue! com apresentações no Espaço Corpovital e na ONG Moinhos Giro de Arte. Participaram dessa edição: Fafá Daltro, Edu O., Wilfrid Jaubert, Helene Charles, Daiana Carvalho, João Rafael Neto, Fernando Lopes, Natália Rocha e Cyça Lopez.

Em 2017, o projeto Euphorico Linha desencadeou uma pesquisa sobre as linhas que nos conectam na distância entre os continentes. A linha como mote central para a criação em Dança. Linha de tricô, linha de pesca, linhas imaginárias, linhas dos mapas. Essa pesquisa  resultou em uma performance na Rua das Artes de Toulon, com participação de Helene Charles, Wilfrid Jaubert, Edu O., Marielle Guillaume, Florence Morel e Vincent Hours. Este ano, o projeto também caracterizou-se por acentuar as ações educativas, ao realizar uma série de oficinas com os coreógrafos Edu O. e Helene Charles em nos espaços educacionais:    Lycée Beaussier (La Seyne sur Mer), Studios du Cours (Marseille), l’école Zunino 2 (La Garde), l’école elémentaire publique Georges Guynemer (Hyères), l’école maternelle Toussaint Merle (La Seyne sur Mer). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário